terça-feira, 29 de agosto de 2006

A calhar.

http://reverentia-lusa.blogspot.com/2006_08_01_reverentia-lusa_archive.html

Eis que visitando o Reverentia me deparei com uma entrevista ao Excelentíssimo Português José de Brito.
Tão a propósito da temática que se trata, vale a pena ler.

7 Comments:

At 30/8/06 19:20, Blogger Santos R. Queiroz said...

"Ora, o fascismo é imanentista, tem grandes influências de Nietzsche e de uma certa leitura italiana de Hegel (...)"

Concordo absolutamente. Já outros me questionaram acerca de certa compreensão que tenho de Hegel. Não sendo fascista, acho que é um filósofo muito válido.

De resto, creio que é o sr. José de Brito alguém bastante coerente, embora defenda um nacionalismo que tenho por importado (e que portanto não poderei defender) e que tem uma visão da democracia muito baseada no prisma fascista, que também não partilho.

Partilho a não-democracia, mas quanto ao resto, serei mais reservado no elogio.
Foi uma boa leitura.

 
At 30/8/06 21:24, Blogger Menestrel said...

Caro Queiroz:
O problema do fascismo, para mim, são as suas raízes pagãs... Mas quando olho para B. Mussolini e o vejo inserido num país intrinsecamente católico, reconsidero uma adaptação "fascista catolicizada".

Tendo sido o salazarismo uma teoria-prática de governo não- fascista (ao contrário do que muito se diz) vê-se que o fascismo poderá não ser o caminho puro e certeiro para Portugal. Porém, como a Terra é imperfeita e os idealismos não dão soluções a curto prazo, se se implantar um "fascismo catolicizado", será um sistema muito melhor em contraposição a esta República Democrática corrupta.

Saudações.

 
At 31/8/06 15:28, Blogger F. Santos said...

Modéstia à parte, a transcrição da emtrevista para suporte informático foi obra minha, no meu antigo blogue:
http://santosdacasa.weblog.com.pt/arquivo/2004/12/antonio_jose_de.html

Entretanto agradeço o link para o "Horizonte", que vou retribuir com inteiro mérito do seu blogue, que não conhecia, e não por simples reciprocidade.

 
At 31/8/06 19:38, Blogger Menestrel said...

Caro Santos:
tendo eu sido, em tempos um visitante frequente do seu antigo espaço, foi falha minha a confusão criada...

De resto, agradeço a visita bem como a ligação no Horizonte.

Saudações!

 
At 31/8/06 21:42, Blogger Santos R. Queiroz said...

Fascismo catolicizado? Vejo nessa mistura alguma instabilidade, mas já ficavam anuladas algumas "resistências" de que não prescindo.

Nem se põe em causa a preferência relativamente a esta "República Democrática". Antes enfrentar um mar desconhecido que um pântano putrefacto.

Saudações.

 
At 31/8/06 21:45, Blogger Santos R. Queiroz said...

A bem da coerência discursiva, quis dizer "de que não prescindo, ao considerar o fascismo puro".

 
At 1/9/06 12:44, Blogger Menestrel said...

Caro Queiroz:
Noto algumas hesitações interpretativas da minha parte...
Por isso, e claramente, o que quis dizer foi que não sou fascista. Mas quando chegar o dia da batalha para colocar Portugal no caminho da glória, não haja duvida que se a facção nacionalista for a fascista, será nessa barricada que prestarei serviço.

Independentemente da dita "instabilidade" teórica que se possa vislumbrar, mas que na prática foi afastada, coloque-se os olhos no Tratado de Latrão. O fascismo é compatível com o catolicismo, em suma.

Saudações Nacionalistas!

 

Enviar um comentário

<< Home