terça-feira, 3 de abril de 2007

Recados...

Para os democratas ou os pseudo-democratas vestidos de tecnocratas/ eurocratas:
a perseguição que movem aos que procuram uma nova forma de organização político-social-económica, não tem sentido.

O 25 de Abril foi há 33 anos. Os falhanços das promessas não cumpridas estão à vista. Continuam a agarrar-se, alguns, a Churchill com "a democracia é o pior regime, à excepção de todos os outros" e cantigas similares... Não tem sentido.

O povo português está farto - vive a crédito, sente-se inseguro, e é humilhado. Isto não é respeito pela sua vontade. É a opressão pós-contemporânea.

A esquerda (nomeadamente a comunista) propõe-se defender os interesses do povo; mas a máscara começa a cair. A defesa dos interesses do povo viu-se na URSS e vê-se em Cuba.

A direita, e digamos sem complexos - antidemocrática - é o governo do povo e para o povo, porque não nega a necessidade da existência da elite para o coodenar e governar. E este despimento de complexo, é o caminho que a conduz à vitória.

ESTA É A VIA.
Sigamos por ela.

Menestrel

5 Comments:

At 25/4/07 23:56, Anonymous José Cardoso de Menezes said...

O 25 de Abril trouxe dois aspectos que eu aprecio:

1º- Cada um pode votar em quem quer. A democracia, Republicana ou Monárquica, é a forma mais nobre de Governo visto que se pode destruir a si mesma para defender o seu principio base (bastaria que o povo votasse massissamente no PCP ou no PNR e a democracia em Portugal estaria acabada)
2º- O 25 de Abril trouxe a liberdade de expressão que nos permite escrever blogs com a nossa opinião ou dizer o que pensamos sem consequências para a nossa integridade fisica ou moral.

 
At 5/5/07 02:14, Anonymous Anónimo said...

Ridículo. E desde quando a democracia nega as elites?

 
At 16/8/07 19:09, Anonymous Menestrel said...

Caro anónimo:
Os seus horizontes culturais reduzidos de tal forma, é que são indubitavelmente ridículos.

Eu sou um discípulo da teoria clásica das elites. Não faz ideia do que isso é, por isso aconselho V. Exc. a ler Pareto, Mosca e Michels os três maiores pensadores da teoria. Terá também Meisel e Burgham, mas debruce-se pelo menos nos três primeiros.

Segundo esta perpesctiva, as elites são incompatíveis com a democracia (não se trata pois de "negar" como escreveu). E porquê? Porque aquilo que Michels chamou de "lei de ferro da oligarquia" da democracia, impossibilita sempre uma renovação democrática da elite.
Quem detém o poder, escolhe e selecciona quem o substitui, seja isto num sistema cinicamente dito "democrático", seja num que não o é. Ora se não existe democracia no processo, para quê fazer um sistema no qual se diz que há, não havendo?

Para quê a hipocrisia, quando se pode ter transparência? Pense nisso.

 
At 1/10/07 19:57, Anonymous Anónimo said...

"A direita, e digamos sem complexos - antidemocrática - é o governo do povo e para o povo, porque não nega a necessidade da existência da elite para o coodenar e governar. E este despimento de complexo, é o caminho que a conduz à vitória."

Totalmente de acordo caro Menestrel.
Este é o blog da verdade.

Bem haja,
b.reis

 
At 1/10/07 21:46, Anonymous menestrel said...

Caro Reis, companheiro de valores:

Aprecio profundamente o seu senso interpretativo e a capacidade de discernir as soluções para o nosso país.

Retribuo, com exuberância sentida, o bem haja; exortando para que me questione na doutrina, a fim de que eu a melhor possa explanar, e consigamos, todos os homens de pensar a filosofia política juntos, encontrar um programa que dê uma luz para este país que está atolado na lama.

Cumprimentos.

 

Enviar um comentário

<< Home