quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Sem novidades, ou não...


Por aqui continuamos... Neste país doente e descrente. Há meses que não tenho escrito nada. Porventura os meus leitores (os poucos que cheguei a amealhar) já deixaram de aqui vir. Escrevo, pois, para mim.


Passaram as eleições intercalares para CML e o PNR cresceu, efectivamente. Foi um orgulho para mim ver um partido escorraçado e que os senhores feudais da comunicação social (como já cheguei a ler ao sapiente Professor Adelino Maltez) se ocupam em abafar.


Foi, por conseguinte, muito bom... apesar de pouco.
Prossigamos.
Menestrel


7 Comments:

At 23/8/07 18:03, Anonymous Anónimo said...

costumo vir cá com frequência.
mas sem novas noticias fico desanimado e chego a desistir

 
At 23/8/07 20:22, Anonymous forum novas gerações said...

andas mesmo a leste.
o pnr está cada vez mais nazi

devido a isso.
muitos patriota e nacionalistas ingressaram no PND

http://novasgeracoes.forumotion.com

PND

 
At 23/8/07 21:23, Anonymous menestrel said...

Caro anónimo:

Tem toda a razão em escrever-me essas palavras. Este período sem escrever nada chegou, realmente, ao ponto do desleixo. Não se repete mais, agora que tenho mais tempo livre.

saudações
---

Caro jovem-aí-do-fórum:

Em primeiro lugar, não nos conhecemos de lado nenhum para me tratar por "tu".

Depois quem anda a (e para) leste são os comunistas, grupo onde mais depressa V. Exc., parcela que engrossa um pequeno partido burguês como o PND, se mete do que eu ou qualquer nacionalista com o mínimo de inteligência e conhecimento e, em bom português "dois dedos de testa".

E agora, deixe-me dizer-lhe que um homem, como o seu presidente, que vem na campanha para as intercalares com soluções estupidamente liberais, como "contratar empresas" para resolver e executar tarefas da câmara, ao invés de apostar na qualificação do pessoal... tem muito a aprender. Já está visto que o capital-liberalismo dos burguesezecos que fizeram a Revolução Francesa e que andam agora a deitar as unhas de fora em Portugal, já deu o que tinha para dar.

cumprimentos e pense no que anda a fazer.

 
At 24/8/07 18:01, Anonymous Anónimo said...

O Sr tem razão. Contudo, olvidou de um pequeno grande pormenor.
A direcção do qual o Manuel Monteiro preside, está demissionária. O PND terá um novo rumo.

Se me permite, uma pergunta.
Como é que consegue conciliar o Cristianismo com o Nacional-Socialismo? O Universalismo com a Supremacia racial?

 
At 24/8/07 18:02, Anonymous Anónimo said...

O Sr tem razão. Contudo, olvidou de um pequeno grande pormenor.
A direcção do qual o Manuel Monteiro preside, está demissionária. O PND terá um novo rumo.

Se me permite, uma pergunta.
Como é que consegue conciliar o Cristianismo com o Nacional-Socialismo? O Universalismo com a Supremacia racial?

 
At 25/8/07 21:40, Anonymous menestrel said...

Caro anónimo 2:

Realmente não estou a par das novidades do seu partido, o que se deverá à pouca atenção que os portugueses, em geral, lhe dão... O PND é um partido neo-liberal e seja qual for a direcção, a menos que lhe mude a estrutura e os objectivos para que foi pensado, sempre há-de sê-lo. A minha resposta, quanto a isso, é: "eu não sou liberal, nem neo-liberal, nem sequer ainda proto-liberal" (nem os portugueses tão-pouco, basta ver como se comportam no dia-a-dia). Portanto, e para este país, esse é um projecto falhado, lamento destruir-lhe as ilusões.

Em relação à sua pergunta, respondo com simplicidade: não concilio, é impossível. Ou se é cristão (católico, protestante ou ortodoxo) ou nazi (derivado, entre muitas outras razões, da imanência e raízes pagãs deste último). Pode perguntar-me logo a seguir "então porque é que foram os católicos da Alemanha do sul, os primeiros a apoiar Hitler"?
Bem, eu podia alongar-me até fartar o leitor, mas basicamente, explica-se por razões históricas: como sabe a Baviera foi sempre um ducado com certa independência e, mais tarde, (sec XIX) um reino de grandes autonomias. As classes médias do país, tementes do comunismo que alastrava, ao verem o rei corrido a pontapé (representante de uma dinastia que ali governava havia mais de 1000 anos) e o imperador do II Reich a abdicar e por se em fuga; com um homem que se apresentava na solução para todos os males (e eram mais que muitos!), um homem providencial e sinónimo da autoridade ancentral que se tinha perdido, que havia, pois, de fazer? Depois de o prenderem em 1923, passados 10 anos, dão-lhe a chancelaria, conquistado um apoio maciço nacional.

Peço desculpa pela lição de História, mas rematando o discurso, não, não sou nazi nem posso ser por coerência. Porém, facilmente poderá descortinar nos textos que escrevo, pontuais citações a Hitler, uma vez que considero partes da doutrina que criou, aplicáveis à essência do povo português (nomeadamente a anti-democracia)

Sou antes monárquico, integralista, anti-liberal e, claro, católico.

cumprimentos.

 
At 28/8/07 09:26, Anonymous Anónimo said...

O Povo Alemão sempre foi e continua a ser marcadamente Cristão-Protestante.
Hitler era louco , mas de burro não tinha nada. E sabia muito bem que para a sua ascenção, necessitava de «Cristianizar e positivamente» o seu discurso politico, para assim atrair o apoio das massas populares.

 

Enviar um comentário

<< Home