sexta-feira, 5 de outubro de 2007

Portugal, o que és tu hoje? República e infâmia.

Acabei agora de assistir à emissão das celebrações republicanas do 5 de Outubro. Não pude impedir-me de ver. Talvez até não devesse escrever, ainda com o sangue quente, depois de ver tanta idiotice junta, mas não posso deixar de o fazer.

A República Portuguesa é uma adulteração, uma prostituição nacional. Vómito sórdido importado da França jacobina, a república é imposta ao Povo Português "pela força das choças carbonárias e pela defecação dos partidos políticos" segundo o nosso solene Alfredo Pimenta. Não é a forma de vida que nos corresponde: é-nos completamente estranha, dado que vivemos durante séculos sob a alçada do Rei, e para ela havemos de voltar.

A república, enquanto forma de governo, impõe uma prazo mandatado para o Chefe de Estado,
que deveria ser um símbolo de temporalidade nacional e um bastião paternal do Povo. Hoje, este, é um bandalho, um tipo qualquer engravatado à moda burguesa, que sobe a um palanque e muge uns avisos "aos pais" sobre a educação nacional (como se a culpa do estado cultural deste país não fosse daquela choldra que estava para lá amontoada!)

A república é uma forma política de vida que incomoda o Povo em actos eleitorais, supostamente maciços (porque vai cada vez menos gente) e absurdos; que ao invés de recrutar elites (já nem falo em escol!) para colocar o nosso país na linha do que foi outrora, se ocupa em fornecer estes seres abjectos verdes e vermelhos (que são tão imbecis que se dizem republicanos, apenas por conveniência e acomodação) que vivem para acumular fortuna e viver à custa de um Povo que o sustenta e que, por ser brando, não se revolta!!!

Vivemos numa Cleptocracia! Escrevo para quem quiser ler, "Vivemos numa CLEPTOCRACIA!"

Por isso, o único 5 de Outubro que me merece ser celebrado foi o que nos deu origem: o da Fundação da Nacionalidade!

Viva a Monarquia Portuguesa, tradicional e orgânica, como foi e há-de tornar a ser .

Menestrel

11 Comments:

At 5/10/07 20:07, Anonymous Pedro Fernandes Pereira said...

Concordo com muito que disse, isto como está é uma vegonha!
Deixe-me é dizer que no que diz respeito à educação (escolaridade, alfabetização, etc) a primeira república e o Estado Novo trouxeram progressos em relação a monarquia. Nesse aspecto estes palermas estão (quase) isentos de culpas.

 
At 6/10/07 20:41, Anonymous Anónimo said...

Apoiado!!

Viva El Rei!

e guilhotina para o PR!!!!

abrços

 
At 7/10/07 19:51, Anonymous Carlos Portugal said...

Caro Menestrel: Uma só palavra - Parabéns!

Caro Pedro Pereira: É lógico que tenham havido progressos; havê-los-ia com república ou Monarquia, pois estes decorrem do progresso temporal, e não exclusivamente de um regime.
Contudo, o presente regime de traição nacional está a destruir qualquer avanço no ensino e educação. Programas absurdos, escolas que fecham, História vergonhosamente adulterada e mesmo eliminada, ao gosto torpe dos medíocres mentirosos de hoje.

Creio bem que só uma Monarquia poderá salvar Portugal. Ou seja, o regresso às suas origens, ao que lhe é natural. Com um Rei que volte a reunir os Reinos e o Povo, e que favoreça a criação de uma verdadeira elite não baseada na plutocracia desbragada (que só produz burgessos arrogantes e broncos), mas sim nos conceitos de Honra, Sabedoria e Compaixão, pilares da verdadeira Nobreza desde sempre.

Cumprimentos e saudações monárquicas aos dois.

 
At 9/10/07 11:16, Anonymous menestrel said...

Caro Pedro:

(Lamento não ter respondido mais cedo, mas só agora encontro tempo para o fazer).
O facto da I República ter trazido alguma luz à educação (não fez mais do que seguir a evolução dos tempos!), não nos pode fazer esquecer que para além de ter sido implantada no sangue e, por conseguinte, ser um regime de criminosos; foi ( e é) um regime estrangeiro, que destruiu uma antiga ordem nacional (já anteriormente escortanhada pelos liberais), maltratou a Igreja (lembre-se das nacionalizações e por aí em diante... e das sovas aos sacerdotes - que ignomínia!) e decapitou um país.

Quanto à II República, já aqui escrevi umas letras sobre Salazar. Reconheço-lhe mérito, mas não nos esquecemos (nós, Integralistas) que depois de termos trabalhado com Sidónio Pais, o ilustre Professor, nas vésperas da Constituição de 1933, prometeu um peso aos tradicionalistas que não deu, optando pelos Republicanos conservadores e de direita. Enfim...

Por isso, o caminho recto é só um.

---

Caro anónimo:

Com essa guilhotinha não faríamos mais que vingar o sangue de Charles I; Louis XVI; e de D. Carlos I.


---

Caro Carlos Portugal:

Que mais acrescentar ao seu comentário? Escreveu com dedos de ouro.

Saudações a todos!

 
At 14/10/07 20:33, Blogger Ancien Régime said...

Caro Menestrel,

Parabéns pelo seu blogue! É sempre reconfortante encontrar outras pessoas que tenham ideias semelhantes às nossas e que se batam pelas mesmas verdades.

Queria dizer-lhe que no meu blogue já tenho a resposta à sua questão em relação à Missa de Sempre. Os horários estão publicados na coluna da direita.

Pela restauração monárquica e pelo Reinado Social de Nosso Senhor Jesus Cristo, um bem-haja!

 
At 15/10/07 20:16, Blogger Santos R. Queiroz said...

Meu caro Menestrel, está bem lembrado. As efemérides são boas par nos dartem estes calafrios.

Quanto à Monarquia, viva, mas como escreveu o António Telmo aqui há uns trint' anos, só se passar pelo Centro do Mundo. Recuperemos as insígnias, renasça a Alma, logo virão os costumes e as pessoas.

Cumprimentos.

 
At 16/10/07 12:04, Anonymous Anónimo said...

Sim Senhor. Muito bem!

e como diz o anónimo de cima devíamos era guilhotinar os republicanos e como está aqui escrito eles são tão poucos, ou pelo menos correr com eles e fazer o que temos de fazer

libertar o povo!!!

 
At 19/10/07 12:10, Blogger PintoRibeiro said...

Bom fim de semana e um abraço.

 
At 26/10/07 05:09, Blogger ASCENDES said...

Não entendo como não é celebrado o 5 de Outubro...

 
At 19/11/07 22:21, Anonymous menestrel said...

Cumprimentos a todos!

 
At 21/3/11 18:42, Blogger caçador said...

estou muito atrasado a responder aos senhores.eu ácho que nós sempre fomos enganados.que cada um que veio para o poder fez a história a seu jeito ou melhor misturou as coisas,e nao concordo com a primeira republica em poucos anos teve teve 51 governos.isso eu nao concordo se portugal melhorou nao foi o 25 mas sim o tempo em 1946 qual era o pais da europa que estava bem nenhum.com respeito a portugal nada mais temos a fazer pois perdemos tudo seria muito melhor os nossos bisnetos nascerem castelhanos abraços a todos

 

Enviar um comentário

<< Home